quarta-feira, 2 de julho de 2014

O ego e a raiz

Atores estão em evolução e aprendizado a cada nova experiência. Isso é um fato! Mas então porque alguns renegam duas origens? Quando a fama sobe à cabeça e o ego fica gigante, as pessoas tendem a se sentir superiores, insuperáveis e insubstituíveis. Por vezes, a fama nem é tão estrondosa, mas por menor que seja faz o artista se sentir maior e melhor do que realmente é ou poderia ser.

Porque estou filosofando sobre isso? Por que simplesmente não entendo o motivo pelo qual um ator sente enjoos quando é perguntado sobre uma peça que fez no passado e hoje por alguma razão acha ruim... Porque uma atriz não gosta quem mencionem sua participação na novela Chiquititas... Ou porque se arrepia ao ser lembrado que foi um mutante em uma novela... Enfim, não entendo porque o ego inflado faz atores repudiarem experiências vividas em sua carreira, se essas experiências foram degraus que galgados para chegar ao lugar em que estão hoje.

Se nesse momento você ator acredita que o trabalho que realizou no passado não foi bom, certamente na ocasião esse trabalho te ensinou algo, te fez crescer, evoluir e ser um profissional melhor hoje, então porque se arrepender? Pra que tentar esquecer de onde veio, pelo que passou, o que realizou por toda a sua carreira? 

É esplêndido para qualquer artista ter seu trabalho reconhecido, aplaudido e reverenciado. Ter o ego acariciado é uma das melhores sensações que se pode sentir. A fama é efêmera e o ego um dia desinfla, então não se pode permitir que tomem conta, pois quando isso acontece, normalmente nos tornamos pessoas rudes capazes de qualquer coisa para manter a pose e renegar nossas raízes.

Lembre-se sempre quem você é! Tenha em mente que tudo o que você fez, de bom ou ruim, fazem parte de quem você é. Toda e qualquer experiência de um artista lhe torna único! Tentemos manter nossas raízes intactas e o ego controlado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário