quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

O Tamanho do Personagem

Minha primeira experiência no palco foi no chamado elenco de apoio ou figuração, se preferirem. 

É engraçada a forma de pensar de algumas pessoas... Acham que personagem bom é personagem com fala, o protagonista ou antagonista. Acredito na frase que diz: "Não existe personagem pequeno, existem atores pequenos e seus egos inflamados". Se um ator se doa totalmente, se dedica de verdade ao trabalho, seja qual for o personagem, ele irá brilhar! Pode ser um simples traseunte que passa láááá no fundo da cena, mas vai brilhar! Quando falo desse assunto, me lembro sempre do ator Rodrigo Santoro numa entrevista em que falava de sua participação no filme "As Panteras". O cara aparece umas 4 ou 5 vezes no filme, entra mudo e sai calado em todas elas e o que ele disse a respeito? "Dei o melhor de mim!" Fato comprovado já que após essa  participação singela, ele foi um dos personagens centrais do filme "300". Se valeu a pena? Claro que valeu! E o personagem podia não ter uma carga tão grande, mas ele fez o seu melhor e foi recompensado por isso. Não estou dizendo que um ator deve aceitar qualquer personagem pensando nos frutos que isso possa trazer, mas sim que deve se doar da mesma forma em todos os trabalhos que fizer. Sempre com a mesma dedicação, com o mesmo amor e profissionalismo.

Voltando à mim: A primeira vez que participei de um espetáculo, foi na figuração. E garanto, na hora o nervosismo é tão grande que você nem pensa na "importâcia" do seu personagem, você só quer que acabe logo pra você relaxar. Mas aí, o espetáculo vai rolando, vai se aproximando do final e você pensa: "Mas já? Foi tão rápido!" E só quer mais! Nesse ponto só existem dois caminhos: Ou você se desespera, abandona tudo e desiste ou vicia de vez e segue carreira. 

Estar no palco é aterrorizantemente maravilhoso! Por mais que as luzes não te deixem ver a platéia, você sabe que tem pessoas ali e que estão olhando pra você. E já que não dá pra fugir, o que resta é relaxar, aproveitar o momento sem correr com suas falas e/ou passos e transmitir toda a emoção do seu personagem. Dar o seu melhor! Se for passar de um lado pro outro do palco, faça isso da melhor maneira possível... Se for entrar em cena dizer uma frase e sair, faça dessa frase a chave do espetáculo... Se for um dos personagens centrais, conduza o enredo para o melhor do espetáculo... Seja como for, "ame a arte em você e não você na arte" - Stanislavski. Seja humilde! Aproveita e seja gentil com seus colegas de cena e também com os técnicos, todos têm a mesma importância!

2 comentários:

  1. Dedicação é a chave para tudo em que se quer ter êxito, no teatro não é diferente. No teatro, por causa de uma boa performance num papel secundário, às vezes a gente ofusca o brilho de quem está nos papéis principais. Sua dedicação ainda vai lhe render muitos e ótimos frutos Hellen, continue!

    ResponderExcluir
  2. Falou bonito Hellen! Quem o teatro escolheu trabalha com prazer e dá muito valor aos relacionamentos e o bom tratamento das pessoas com quem trabalhamos, esse é só um dos detalhes importantes. O melhor fica pelo senso de companheirismo e o trabalho final que entregamos no palco. Como dizia Caetano Veloso: " Não há gente como a gente, gente de teatro"...

    beijos

    ResponderExcluir